domingo, 4 de março de 2018

Até que a culpa nos separe - Liane Moriarty

{Eu Li}


Em condições normais, teria demorado um certo tempo até conhecer os livros de Liane Moriarty, porém, com a conversão de um dos seus livros em série, o Big Little Lies ( Pequenas Grandes Mentiras, série da HBO com Nicole Kidman e Reese Witherspoon), acabei sendo apresentada a autora e claro, surgiu o interesse em conhecer um pouco mais sobre seu conteúdo. Li "Até que a culpa nos separe" e olha, tá aí um livro que vai te prender e com certeza proporcionar boas reflexões. 



Em Até que a culpa nos separe, conhecemos as amigas Erika e Clementine, duas mulheres completamente diferentes. Enquanto a contadora Erika é extremamente organizada e metódica, sua amiga Clementine é uma musicista desorganizada e muito bem humorada.  As duas amigas vivem uma relação de amor, ódio e alguns pequenos ressentimentos, mas ainda sim, consideram-se as melhores amigas uma da outra.

Numa visita de rotina que Clementine, o marido e as duas filhas fazem a casa de Erika, as duas famílias acabam sendo convidadas a participar de um churrasco na casa dos calorosos vizinhos de Erika. No entanto, este churrasco trará consequências profundas a amizade e a vida pessoal de todos. 


Este é um livro que consegue envolver o leitor por conter um enredo rico e bem construído. Não há lacunas nas histórias narradas e durante a leitura, somos convidados a participar das reflexões de cada personagem, nos questionando sobre o valor e atenção que damos as pessoas e às situações do dia a dia. 

Achei que é uma história pra você entender que a vida é um segundo e que medir o peso das suas ações, reações e principalmente, o peso dos seus sentimentos sobre seu semelhante, mas também sobre si mesmo, vem sendo ignorado com frequência atualmente. 

Gostei, sim. No início rola uma dificuldade manter o ritmo da leitura, porque as histórias são contadas tanto no presente quanto com flashs do dia do churrasco, mantendo assim uma linha do tempo para ajudar o leitor a compreender tudo que antecede ao fato máximo e como são os personagens. Ao mesmo tempo que esse detalhamento é legal, acaba sendo um tanto cansativo, deixando o leitor mais ansioso e cheio de teorias do que de tão grave pode ter acontecido em um simples churrasco no quintal.

Eu acho interessante o jeito que a Liane consegue abordar variados temas em um único enredo e não deixar o leitor sem entender ou o livro desinteressante. No final, você termina a leitura com a sensação de que precisa repensar a sua vida, mas não consegue dizer um único tema para definir Até que a culpa nos separe. É um livro pra você dedicar tempo e colher bons frutos, viu?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!!!


SENTIDO CONTRÁRIO - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger