sexta-feira, 12 de maio de 2017

Apenas, obrigada!

{Nós, amores e muito blá, blá, blá}



Créditos: We Heart It 


Ainda lembro a primeira vez que resolvi escrever algo para você. Não tinha um formato específico e nem um porquê, mas, lá estavam as palavras inocentes que uma suposta menina de 13 anos queria dizer a um carinha de vinte tantos anos...

Lá estava todo o meu sentimento sem máscara, molduras e filtros. Lá estava a palavra bruta de alguém que se arriscava à primeira vista por um novo amor.

Tenho saudades daqueles tempos. Dos tempos em que a gente não estava sempre por perto, porém, sabia onde e como se encontrar e fazer de cada momento, não só único, como também, essencial.

Eramos sem muito esforço, o que um precisava do outro, lembra?

O engraçado é que foi neste exato momento que chegamos a linha tênue entre amor e amizade, entre dar o próximo passo ou esquecer tudo. Estávamos bem ali, prontos pra dar um passo e mudar tudo, no entanto, regredimos, retrocedemos igual nas fitas VHS dos anos 90.

E a gente chegou num espaço, onde, já não cabia nem mais uma relação de conhecimento. Não sabia mais quem era você e percebia que em meio a tantas confissões minhas, você, também não sabia quem eu era. Desconhecidos educados.

Eu sempre sinto sua falta. Sinto falta de um período em especial e com base neste período, sempre norteei toda a minha dedicação, lealdade e confiança em você. É a saudade de um eu seu, que era leve, bem humorado, disposto a ajudar as pessoas, alguém digno de amor.

Sabe, eu só descobri que este alguém era só lembrança e não existia mais, há pouco tempo. Perceber isso foi a coisa mais difícil que fiz nos últimos 10 anos. Foi encarar que eu estava esperando alguém que já havia partido há muito tempo e não voltaria mais. Pior foi perceber que eu teria que caminhar sozinha, porque mesmo você ainda estando aqui fisicamente, já não era a alma que eu queria junto a minha.

Obrigada por tudo. Obrigada por ser a minha inspiração, pelas noites em claro me ouvindo e me fazendo rir, pelos dias de loucura, por me salvar da dor e solidão de um antigo amor. Obrigada por me mostrar esta vida nova, onde, eu aprendi a ser alguém diferente, sendo eu mesma.

Obrigada!

Serei grata por tudo que aconteceu e principalmente, por tudo que você me deu quando eu precisei me auto conhecer. Hoje, eu sei quem sou e posso escrever não só sobre e para você, como para o mundo e, meus sentimentos não estão mais perdidos por aí.

Obrigada por me guiar, mas, agora preciso ir e vou sozinha.

Adeus!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!!!


SENTIDO CONTRÁRIO - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger