terça-feira, 22 de novembro de 2016

Meu Kindle quebrou, e agora?

Pois bem, foi essa a pergunta que me fiz por horas há quinze dias atrás, quando peguei meu amado Kindle e ele não queria ligar a tela e sair da tela de descanso. Tentei de tudo: carreguei à noite toda, tentei reiniciar, conectei ao computador e rezei muito, mas não deu. Era o fim do aparelho com apenas CINCO MESES de uso.

Por sorte, havia dado uma "googlada" e aberto várias páginas com tutoriais e dicas e numa destas, consegui a luz pro meu problema: entrar em contato com o suporte da Amazon e tentar trocar o produto. 



Bem, você pode ser e pode não ser um dos 5% de usuários que encaram um problema repentino como esse, mas, se pro seu azar, assim como foi o meu, estiver nessa listinha feia, relaxa que tem jeito e não demora muito. Depois que você entra no site da Amazon, faz o login e vai até a aba de suporte, basta comunicar o defeito que seu aparelho apresenta e escolher entre fazer o contato por e-mail ou receber uma ligação do suporte técnico. 

Sugiro sempre que a segunda opção seja a escolha, pois, é mais fácil narrar o que aconteceu por telefone, além de ser mais prático, já que mesmo que você faça um resumo por e-mail, o suporte vai acabar entretanto em contato por telefone. Fiz o meu por e-mail, porque o suporte ainda não estava ativo no horário que contatei e pra falar a boa da verdade, estava mega ansiosa querendo saber o que iria acontecer. Eles me ligaram com mais ou menos 1h que havia enviado o e-mail.

O atendimento é bem interessante. O atendente fala um misto de portanhol com portanglês e de vez em quando fica difícil identificar o que foi dito (parece o sotaque antigo do google translate), porém, dá pra entender e se comunicar perfeitamente. Claro, que após ouvir seu relato, o atendente vai solicitar que você realize alguns testes técnicos e após constatado que o aparelho está realmente defeituoso, ele apresenta suas opções: enviar um aparelho novo ou fornecer um vale presente pro site da Amazon.



Achei a atitude interessante e bem justa com o consumidor, principalmente, porque a empresa não dispõe de assistência técnica aqui no Brasil (parece que pouco países tem), então, pra quem tá na garantia é uma mão na roda e dá uma super tranquilidade saber que vem um aparelho novinho pra casa. Gostei disso e fiquei ansiosa pras resoluções finais, mas, infelizmente, rolou um pouco de demora, algo um tanto incomum, segundo a empresa. Depois de quatro dias do primeiro contato e algumas ligações depois, finalmente, recebi meu vale e comprei o Kindle novo que chegou bem rápido em casa.

Como eu falei lá em cima, essa posição da empresa para com os clientes é legal quando você tem a garantia a seu favor, porém, como é que faz quando o aparelho danifica com 13 meses de uso? Joga-se R$479 fora?


Não sei. Espero realmente, nem ter que saber. Até porque sofri horrores esses dias em que fiquei seu meu Kindle. Sério!! A gente passa a vida lendo livros e vivendo de boa, sendo até um viciado compulsivo e um belo dia, conhece um aparelho e vira fã. A vida muda mesmo com um leitor de e-reader. Não tem como ficar pouco empolgado com livros novos e portáteis, sabe? A praticidade deixa a gente mal acostumado. 

Tirando esse conflito interno sobre o que rola depois da garantia, eu devo dizer que gostei do serviço e achei tudo bem feito e com muita atenção por parte da equipe. Agora, vou ter que comprar uma capa sem falta, afinal, Kindle Branco é uó pra sujeira.

Beijos!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!!!


SENTIDO CONTRÁRIO - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger