segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Quando o pessimismo pode ser o seu maior aliado

#Memories33




Sempre fui ultra otimista. Do tipo que acredita que só de pensar que vai dar certo, vai dar e ponto. Daí, sempre só fiz planejar o que faria com os resultados perfeitos e bem do jeito que eu havia idealizado ou até melhor. 

Bem, por bastante tempo isso funcionou. Na verdade, sempre funciona, no entanto, quando as coisas dão errado, o que também é bem natural, eu me frusto, sofro e vou confessar que demoro muitooo pra superar. 

Não remoer tanto ou não criar expectativas irreais, vem sendo um dos meus exercícios de vida. Tenho me esforçado bastante pra só viver o hoje. Deixar de planejar a perfeição e assim, de um jeito até meio pessimista, elaborar primeiro as coisas erradas que podem surgir no caminho e aí, só depois já perto da chegada, vibrar com uma mudança de planos positiva.

Essa semana eu fiz bastante isso. Mensurei tudo que podia dá errado em um acontecimento importante e aí, com a resolução perfeita da história, pude respirar aliviada e quer saber? Foi dez mil vezes melhor do que se tivesse planejado que sairia perfeito.

Foi assim que conclui que um pouco de pessimismo não faz mal há ninguém de vez em quando. Até ajuda a lidar melhor com os momentos de alegria quando eles chegarem e a não se frustrar tanto se algo não der certo.

Ajuda a aceitar. Meramente aceitar.

E quando você aceita, supera melhor os problemas e aprende a por em prática a tal resiliência da semana retrasada. 

¬¬

Entre dias estressantes e ansiosos, não tive muito do que reclamar dessa semana. Minha mãe viajou para São Paulo e eu estou pela segunda vez na vida, sozinha em casa com meu pai. Bem, inicialmente, essa tarefa sempre é tranquila, até meu pai ficar mal acostumado e começar a exigir demais.

Tirando o drama com papai e seus mimos, aproveitei pra fazer umas comprinhas de beleza e fiz ótimos achados de produtos sem sulfato, petrolatos e silicone pra cuidar do cabelo. O melhor foram os preços.


Me propus a fazer um teste essa semana: ficaria sem arroz, feijão, doces e industrializados. Pensei que seria uma tarefa difícil, mas até que não. Consegui me virar bem sem meus itens favoritos (arroz e feijão) e a compulsão doentia por doces deu uma boa controlada. Vou tentar voltar a ficar sem consumir direto açúcar. Consegui ficar por um ano e dois meses, então, não deve ser difícil voltar a ficar sem.




Voltei a separar minhas as coisas que não uso mais ou que não gosto muito para vender. Divulguei em um grupo lá no Facebook, mas vou por aqui também e acho que finalmente vou abrir minha lojinha no Enjoei, mas quem quiser um dos dois itens que vou por aqui, me manda e-mail, tá?


R$45

R$35

E teve a minha frustração ao conhecer o novo corretivo da linha Intense. Pra quem não sabe, meu corretivo favorito pro dia a dia, era o cremoso da linha Intense, do Boticário. Aí, eis que a marca fez um saldão de 20% de desconto em vários produtos e descobri que isso era porque iam reformular a identidade visual da Intense e ainda, adicionar novos produtos a linha mais popular do Boticário.

Seria tudo maravilhoso se a marca não tivesse transformado o corretivo cremoso em corretivo líquido. De imediato, não gostei muito da textura do produto, mas, estou testando e já não estou achando mais tão ruim assim. 



De resto, fiz algumas outras compras de produtos de pele na Boticário, comprei a base mate da Tracta (logo, logo vem resenha pra vocês) e aprovei uma tarde de beleza com a Mary Kay (também vai virar post). 

Beijos e boa semana pra nós!! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!!!


SENTIDO CONTRÁRIO - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger