quarta-feira, 18 de maio de 2016

{Nós, amores e muito blá, blá, blá} Resistência

Créditos: We Heart It 

Sabe aquele discurso bonitinho e bem feito de "superioridade feminina", pois é, desconsidere ele. Hoje, eu não vou tentar bancar a superior, a bem resolvida emocionalmente. Quero soltar o que sinto. Dizer pra você e pra quem mais quiser ouvir tudo o que eu deixei retido em mim.

Não, eu não sei superar as coisas. Não sei descer pro playground  e brincar de boa com os coleguinhas, dividir meus brinquedinhos e depois voltar pra casa como se nada tivesse acontecido. Não sou assim! Eu guardo, alimento, sofro e depois devolvo criado e autossuficiente.

O sentimento tá aqui e nesse exato momento, eu não sei como, mas, ele deseja você. Eu sei, que ele te quer. Quer voltar pra casa, ficar no seu colo e deixar você fazer o que quiser com ele, afinal, ele é seu e eu nada posso fazer.

Na boa da verdade, eu nem sei o que poderia fazer com ele, comigo e com você. Sabe por quê? Eu deixei você dizer como as coisas seriam e no final das contas, não me preparei pro que poderia vim. Bem, pra minha surpresa, o que veio foi você. De mala e cuia, lacinho na cabeça e sorrisinho no rosto.

Meu coração não aguentou, né? Porque ele não sabe lidar com coisas significativas. Gestos espirituosos acabam com a parcimônia dele. Não existe letargia pro meu amor, então, por favor, apenas pare de me amar. De fazer eu te amar. Porque eu não estou sabendo viver com você e piorou mais ainda sem você.

Querido, apenas pare!

Pare de ser tão bom. De retirar o melhor de mim, de me fazer desejar você e não saber como controlar esse amor. Pare de ser irresistível.

Pare, eu imploro e agradeço. No entanto, se você quiser continuar provocando tantos efeitos químicos em mim, eu deixo. É, deixo e não precisa avisar não.

Vai com força, sem aviso e me arrasa. Não vou resistir!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!!!


SENTIDO CONTRÁRIO - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger