sexta-feira, 22 de abril de 2016

{Nós, amores e muito blá, blá, blá} Surpresa!


Podia ter ficado tudo bem. É, podia... Também, podia ser mais uma noite boa e calma, onde a gente brincava um com o outro enquanto intercalava alguns assunto sérios do mundo, mas não foi. Não. Eu não podia deixar que fosse.

Segurei tantas verdades e por tanto tempo, que aquela era uma oportunidade maravilhosa para te lembrar algumas coisas. Na verdade, acho que era mais pra te provar que eu SABIA algumas coisas e brincar um pouco de queda de braço com você. Eu queria tanto esfregar na sua cara o quanto você não estava tão a minha frente assim, que não me importei com as proporções de cada palavra, mas sabe, eu não me arrependi nem um pouco. Pra ser sincera, só me incomodou um pouco a falta de mais cacos e sangue pelo chão, porque afinal, você conseguiu correr e as minhas 52 semanas não triunfaram totalmente.

Guardei tudo por uns 300 dias (ou mais, não sei quanto equivale 52 semanas), não lutei com você, só ouvi, juntei e guardei. Sim. Eu estava esperando a hora certa, se é que ela algum dia existiu ou viria a existir na minha cabeça. Porque você sabe que eu sou assim... Reluto, guardo e não falo. Deixo passar e sofro calada, até o dia em que meu coração resolve que é a hora de partir pro ataque. E eu vou, vou mesmo, porque eu sou assim... Não tenho medo de confrontar aquele além quando meu coração aperta e se estrangula, como foi naquela noite.

Acredite, ainda não disse metade do que tenho vontade e nem um 1/4 do que eu sei. Porque não vivi nada enganada. Sabia que seria assim desde o primeiro dia, mas mesmo assim, eu quis. Quis saber até onde você iria e também, até onde eu iria. O que eu conseguiria fazer e ser. Moral da história: eu descobri. Tenho um talento nato pra observação. É, eu sei... Também acho inacreditável, mas fazer o quê? Agora sei que além de boa conselheira, ombro amigo e levanta astral, sou uma ótima observadora e com uma dedução sensacional.

Então nada foi surpresa. Apenas foi diferente e eu relutante tive certa dificuldade em aceitar o rumo das coisas e acreditar no meu sexto sentido. Ahhh meu sexo sentido!! Ele nunca falha e eu nunca aprendo isso, não é mesmo? Está errado. Aprendi que sou boa, que tenho um poder incrível e agora, acredito em cada suspiro de ideia que meu inconsciente planta e rega no meu consciente.

O resultado dessa mudança é que agora eu sei e ponho as coisas em prática. Um exemplo: olha em volta. Não estou mais com você, estou?

Beijos e não me liga! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!!!


SENTIDO CONTRÁRIO - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger