quarta-feira, 20 de abril de 2016

{Eu li} Grey - E L James

E depois de tanto comentar que eu tinha lido e gostado da trilogia Cinquenta tons de cinza, nada mais justo que dá meu veredito sobre o mais novo livro da série. Em GREY temos a narrativa do primeiro livro da saga, pelos olhos de Christian Grey e de quebra alguns vislumbres de seus pensamentos e planos.


Como eu havia comentado em alguns posts aleatórios que fiz, gostei do primeiro livro, porém, a animação foi diminuindo ao longo dos outros, justamente pela melosidade excessiva que começou a rolar. Então, gostei bastante de GREY pela sinceridade e até diversão com que o Christian trata toda a situação de estar começando a gostar de alguém tão diferente (ou comum).

O livro é bem divertido e apesar de ter toda a já conhecida e muito polêmica tensão, sobre sexo, dominador e submissa e claro, o lado da pertubação psicológica do protagonista masculino, me agradou até que bem mais que o "original".


Em GREY fica mais fácil entender os medos que o Christian tem, porque ele é tão zeloso e compulsivo por controle. As lembranças dele aparecem mais vivas e com contornos bem sombrios, o que salienta o quanto a nossa memória consegue armazenar de situações traumática.

Por outro lado, ele rende boas risadas, viu?

É engraçado ver o senhor Grey travando diálogos com sua consciência e tentando manter a postura de CEO importante e responsável, diante das provocações da Srta Steele.


Se você ficou cansada das melosidades de Anastasia e sua deusa interior, assim como eu, então, o livro pra você decidir se gosta ou não da história desse casal, é GREY.

Por mim, a autora podia fazer versões dos outros dois livros também que eu compraria de boa, mesmo sabendo a história e não tendo ficado tão satisfeita com o desfecho. Christian Grey é bem mais divertido (em muitos sentidos).


Beijos e boa leitura!! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!!!


SENTIDO CONTRÁRIO - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger