terça-feira, 29 de março de 2016

{Nós, amores e muito blá, blá, blá} Você precisa ir



Você precisa ir. Então vai. Vá agora, não olhe para trás, não tenha pena de mim ou medo do que esse adeus vá me causar. Só vá. Vai e seja feliz. Faça alguém feliz!

Demorei a me dar conta de que precisávamos dizer o adeus em silêncio. Que as despedidas nunca iriam acontecer voluntariamente, porque nem eu e nem você sabemos dizer essa palavrinha. Gostamos de manter as coisas em standy by, né?

Mas, agora eu sei.

Eu já fui embora daí, só você que não percebeu ainda. Talvez, até você também já tenha ido e só esteja voltando pra rever as lembranças, pagar as contas e alimentar o gato.

Pode parar com isso. Não precisa mais fazer nenhuma dessas coisas. Apenas siga. Vá além.Veja o horizonte e viva.

Viva tudo o que eu estou vivendo e não me olhe mais nos olhos. Não volte a pensar em mim, no nós, nas coisas que um dia sonhamos em viver e nas pequenas vividas.

Espero que encontre no meio do caminho ou no fim da linha, alguém que te preencha. Que te reconheça como o "seu alguém", tenha ela o nome que tiver, os gostos mais surreais e o sorriso mais torto de todos.

Dê o seu melhor e não tenha medo, pois, eu acho que te ensinei na prática o quanto o medo pode atrapalhar nossos sonhos, os amores de uma vida e principalmente, os tais sorrisos sinceros.

Então, agora que eu já te disse adeus e que você já sabe o que precisa me dizer, podemos fechar a caixa, apagar as linhas e seguir em frente. Dizer o tal adeus, sem cogitar um até logo, pelo menos, por agora.

É isso. Adeus! 

Um comentário:

  1. Mamis, você sempre lacra nos textos, já disse isso? Se já disse, não importa. Por que você lacra muito, viu? Hhueeuehuhe
    Continua escrevendo mais, por que eu amo!
    Abraços!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!!!


SENTIDO CONTRÁRIO - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger