quarta-feira, 2 de março de 2016

{Netflix} Amy - O documentário

É engraçado como nossa opinião sobre as pessoas pode mudar quando olhamos por outro ângulo. Amy Winehouse era uma cantora talentosa, mas aos confusões que se meteu, abuso de drogas e álcool consumiram sua carreira e, logo, ela apareceu na mídia de maneira negativa.


Durante um tempo, só curtia algumas músicas dela e era mais uma que ao ler uma notícia sobre briga, drogas e etc, dizia "mais uma vez? Aff"... Mas ao assistir esse documentário, lançado no ano passado e dirigido por Asif Kapadia, não tive a mesma sensação dramática que a maioria das pessoas me relataram, mas fiquei com uma outra imagem da cantora.

Documentários são ótimos canais de publicidade, assim como as autobiografias, sejam elas autorizadas ou não, conseguem sempre chamar a atenção. É impossível não ter ficado com outra imagem de Amy e claro, tido a sensação de que pessoas talentosas, acabam na exploração do seu talento, sendo vítimas de quem mais deveria zelar por elas: sua família. Sendo sincera, a história contado ali, me lembrou a do cantor Michael Jackson.


Eu tinha aquela visão de que o pai da Amy era um cara super protetor e paizão, só que em partes o documentário, mostra que mesmo havendo muito amor e companheirismo entre pai e filha, em alguns momentos, a Amy se sentia explorada pelo pai. Isso não foi algo dito pelo diretor, mas sim pela própria Amy e em vídeos gravados pelas equipes que o pai contratava para filmá-la.

O marido exú caveirinha me fez ter um ataque de pânico!!

Cara, sério... Como é que alguém pode ser tão danoso assim? Pior, ele sabia que a menina era mais frágil das ideias e o amava, daí, ele ao invés de cuidar dela e tentar mudar de vida, não. Se estrega mais e leva ela ao inferno.


Acho que uma sucessão de fatores colaboraram pra derrocada que culminou com sua morte. Em uma parte do filme, ela mesmo diz que se ficasse famosa um dia que iria enlouquecer. Os melhores amigos relataram algumas situações complicadas durante a adolescência da cantora e a própria mãe falou que ela sofria sim de Bulimia e que ela não faz nada por achar que era coisa da idade e que se resolveria com o tempo.

Negligência? Talvez.

Porém, como previra anos antes, o sucesso realmente enlouqueceu Amy Winehouse, entretanto, ele não estava sozinho nessa tarefa. Diria que a mídia colaborou muito pras coisas ficarem mais complicadas, ainda mais se observamos o fato de que muito provavelmente, Winehouse fosse depressiva e a morte tenha parecido apenas um "alívio" pra aqueles momentos ruins, já que ela sabia que não podia beber e encontraram uma quantidade alta de álcool em seu sangue.

Apesar de não ser um dos meus gêneros favoritos e quase nunca ter paciência pra acompanhar um documentário até o fim, gostei desse. Gostei bastante e achei que o Oscar foi merecido, mesmo papai Winehouse não gostando, então, se você ainda não assistiu, vai lá no Netflix e veja logo.


Beijos!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!!!


SENTIDO CONTRÁRIO - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger