segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

{Nós, amores e muito blá, blá, blá} Borboletas



Hoje lembrei de uma menina que estudou comigo e me influenciou a gostar de borboletas.

Ela era uma garota bonita e de alma leve. Aquele tipo que você bate o olho e sente a paz emanando e simplesmente, simpatiza com a aura, sabe?

A tal menina sempre tinha algo de borboleta com ela, mas o item que me despertou a curiosidade, foi um anel. Ele era realmente lindo e um dia, finalmente, perguntei por quê ela gostava tanto do tal animal... A resposta dela era que "representava a liberdade".

Sem querer, naquele mesmo momento, ela se tornou mais especial do que já era e eu passei a gostar e almejar as borboletas e a liberdade, assim como minha colega.

Um pouco depois, descobri um outro significado ou sentido para as borboletas: o amor.

Dessa vez, elas estavam no estômago e podiam tanto significar liberdade quanto prisão. Mesmo assim, viraram meu sonho de consumo e o da menina também.

Porém, um dia ela descobriu que as tais borboletas do amor, afetam nosso coração e a mente. Era o dia em que ela perdia um amor.

Ela sofreu.

Por uns dias até chegou a regredir aos tempos de casulo, mas algum tempo depois, voltou ao que era.

Sabe, algumas borboletas vivem apenas um dia. Outras, como as do estômago, podem durar a vida toda e pra isso, basta só um pouco de sorte.

Mas, por favor: sem vômito ou dor no percurso, tá?

Esse estômago aqui é sensível demais!


Beijos!! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!!!


SENTIDO CONTRÁRIO - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger