quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

{Emagrecimento} Como estão as coisas 10 meses e - 27 kg depois

Porque só com o tempo que a gente descobre o que realmente quer


Nunca mais falei sobre o meu emagrecimento por aqui, não é mesmo? Não que eu não quisesse falar ou não tivesse assunto. Tinha muitas coisas pra contar e queria fazer, mas só que faltava tempo e também saber qual seria a melhor maneira pra isso. 

Consegui emagrecer. Na verdade, consegui eliminar mais do que havia planejado no início e isso me surpreendeu muito, pois, eu não imaginava que além da força de vontade pra ir malhar, o resto era só questão de ajustes. Precisava ajustar a minha alimentação? Sim. Só que também precisava ajustar meu cérebro (e emoções) pra entender melhor a minha relação com a comida e principalmente, comigo mesma. 

Estou quase no finalzinho do processo e posso dizer que deixei quase 30kg para trás e sem precisar de remédios, cirurgias e nem nada exagerado. O que eu fiz? Comecei a me exercitar, comer melhor e viver conforme me sinto bem. 

Em  Abril / 2015

O problema todo é que a gente sempre quer mais, sabe? Daí que vem alguns problemas, porque as pessoas passam a te cobrar e junta a sua cobrança pessoal com a alheia e se você não estiver bem amparado, o risco de surtar é enorme. Graças a Deus não surtei. Porque eu sei o que quero, estou bem acompanhada, mas o que antes era apenas emagrecer, virou pra mim um desafio pessoal de ver como meu corpo poderia ficar e até onde consigo ir. 

Agora não basta mais estar saudável, magro e entrar no manequim 38. 

Descobri que quero músculos, um bumbum durinho e mais força e condicionamento físico. Só que aí que vem a parte difícil. Perder peso é simples, mas emagrecer e converter gordura em massa magra e músculos é pra quem tem foco e coragem.  Eu tô tentando seguir firme nesse objetivo. Reduzir meu percentual de gordura e melhorar meu condicionamento.



Tem semanas que consigo manter a coisa mais focada e aí como super direitinho, não rola tentações com doces e nem fritura, mas tem outras que tenho vontade de comer e como sem neura. Eu sei o que é bom e o que não é pra mim, tanto que foi esse um ponto que surpreendeu a minha nutricionista quando começamos as orientações (em agosto). Ela não sabia o que me recomendar, porque eu já tinha feito as mudanças essenciais por conta própria, então, ela apenas me deu um guia com os alimentos que era mais legais, quantidades e o os benefícios que eles proporcionam. 

As refeições principais (café da manhã, almoço e jantar) costumam ser bem tranquilas de elaborar. Na verdade, como não como mais carne vermelha, elas variam entre frango, peixe (aka atum), ovos e proteína isolada de soja. 

Antes que alguém ache que não como carne por causa da dieta ou algumas dessas neuras, preciso dizer ou relembrar que não consumo mais carne vermelha porque na maioria das vezes que como, passo mal, pois, meu organismo de vez em quando tem dificuldade em quebrar a proteína da carne, então se comer, só se for muito bem cozida ou assada, mas mesmo assim bem pouco. 



Outras coisas que hoje em dia me deixam meio agoniada quando como são: açúcar (sinto dor de cabeça), gordura e sal em excesso. Mas isso não quer dizer que de vez em quando eu não coma. Por exemplo, esses dias tava louca pra comer pão doce. Segurei a vontade por uma semana, mas no último final de semana, não aguentei e comprei dois ( um de creme amarelo e outro de coco com goiabada), comi fatias generosas e sabem o que aconteceu? Do nada peguei no sono (eram umas 17h) e só acordei no outro dia (6h da manhã). Tipo, desmaiei e acordei renovada, como se nada tivesse acontecido. 

Eu não gosto de nada restritivo e uma das minhas relutâncias em começar o acompanhamento com nutricionista, era de ficar muito fechado e eu acabar desistindo, então, os meus primeiros 12kg foram eliminados sozinha. Decidi o que precisa cortar, passei a comer menos e mais vezes, a andar com uma garrafa de água pra tudo que é canto e principalmente, a regular meu sono. Dormi bem e pelo menos seis horas por dia, faz toda a diferença não só no peso, como a saúde no geral. 


Um dos meus almoços... Salada, batata doce, frango grelhado, feijão e arroz integral... Sim, como num prato de sobremesa. 

O engraçado é que quando me perguntam por que eu decidi emagrecer e como as coisas começaram, as pessoas sempre se surpreendem quando digo que o objetivo em si nem era emagrecer "assim". Na verdade, eu não estava insatisfeita com meu peso e nem com meu corpo no geral, só queria peitos menores. Tava de saco cheio de ter que procurar sutiã grande e queria deixar os titis menores e contei isso pra minha ginecologista (beijo Drª Dina Rita), daí ela deu a ideia de eu emagrecer uns 5kg ou 10 kg pra daí me encaminharem pra cirurgia. 

Só que eu peguei gosto e no meio do caminho os titis diminuíram (era mais gordura) e eu comecei a achar divertido vê as roupas diminuindo, meu corpo mudando e me reconhecendo. Sei lá... Passei a me sentir mais feliz, a entender certas coisas, como já disse lá em cima e o cume disso tudo se deu com a nutri. 
Esses dias finalmente fiz o teste do biquíni... Sim, eu tenho ESTRIAS! E daí?


É importante ter um acompanhamento pra te orientar com a alimentação, mas também não acho que seja essencial só mudar se tiver alguém. Até mesmo porque mudei sozinha e não fiz mudanças exageradas. No entanto, ter a Kaity (aka minha nutri) me dando uma força, foi legal porque passei a me sentir mais motivada e tive o direcionamento que precisava pra resolver outros problemas como inchaços e retenção de líquido. Além do quê, ela me direcionou pra Homeopatia que ajudou muito a lidar com questões problemáticas como a ansiedade e compulsão. 

Cara... Me encontrei na homeopatia. Sério!! Depois que comecei o tratamento me sinto outra pessoa. Tô mais animada, ativa e principalmente: menos preocupada. Antes eu morria por tudo. Hoje me preocupo o suficiente e de vez em quando quase consigo nem ligar pra nada. Isso ajuda muito no processo de emagrecimento, porque as crises e recaídas com descontes na comida, minimizam se não chegam a zerar. 

Meu paladar melhorou muito com a reeducação e o reflexo disso são as minhas opções de lanche e café da manhã. Passei a tomar chá todo dia, comer castanhas e a comer milho de outras maneiras sem ser cozido e a vantagem é que as opções aumentam bastante, o que torna mais tranquilo manter a "dieta". 

Pra vocês que estão tendo dificuldade em pensar no que comer no lanche, fotografei algumas das coisinhas que mais gosto de comer e geralmente uso como opção pra quando vou lanchar fora de casa:





Vou logo dizendo que é muito importante adquiri o hábito de ler bem as embalagens dos produtos e claro, aprender a identificar a farsa por trás do "integral", "light" e etc...  Quando você for ler a tabela nutricional, aproveite e leia a composição do produto e saiba que o que vem primeiro é o que mais foi usado nele, logo, os ingredientes vem em ordem decrescente de quantidade. 

Daí, se aquele seu cookie tem como primeiro (e principal ingrediente) a "farinha enriquecida", ele não é integral, ok? 

As castanhas devem ser consumidas com cuidado, já que mesmo sendo benéficas ao organismo, elas são bem calóricas e aí já viu... Fora isso, faz bem pra pele, pro cabelo e claro, pra dieta consumi-las. Dá pra comer de tudo, desde que com equilíbrio e sem exageros. 


Post grande, né? Mas acho que algumas das principais coisas que queria contar pra vocês e que já servem pra dá uma ajuda, estão aqui. Espero que vocês tenham gostado e me sigam no Snapchat (Lalylihh) que sempre mostro como anda a minha dieta e rotina de exercícios. 



Beijos!!! 

♥♥♥

Um comentário:

  1. Achei muito legal sua determinação ! Também tenho entrado nessa vida saudável após uma gestação.E não é fácil principalmente alimentação.
    No meu blog tenho contado algumas coisas: http://paulinhaneitzel.blogspot.com.br/

    Beijos flor, sucesso.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!!!


SENTIDO CONTRÁRIO - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger