terça-feira, 25 de agosto de 2015

{Eu li} A Herdeira - Kiera Cass

Viciei tanto na saga A Seleção  que depois de ler todos os três livros da saga principal, fiquei na ansiedade pelo quarto livro da saga que ao que tudo indica será o primeiro de uma "nova" ou secundária saga.  A Herdeira, narra o que aconteceu com os protagonistas da saga inicial e dá o ponta pé a uma nova seleção, dessa vez em busca de um príncipe para Eadlyn Schreave.


Se você ainda não leu nenhum dos livros antecessores, então, melhor nem ler essa resenha, porque vem muito spoiler sobre a saga principal nesse post, tá? Mas, se você já começou a ler e não se importa ou já concluiu e sabe o que vai rolar... Então, vamos lá!

Depois de 20 anos de terminada a seleção que uniu Maxon e America e os fizeram rei e rainha e Ilea, voltamos a trama querida de Kiera Cass, para acompanhar a preparação da primogênita do casal, a princesa Eadlyn, para se tornar a primeira rainha do país.

Logo com o final da seleção, Maxon decidiu terminar com as castas e fez mais algumas mudanças no país, tentando acabar com as revoltas e proporcionar mais oportunidades ao povo. Porém, mesmo após tantas mudanças, as pessoas continuam insatisfeitas e muitas ainda tratam as outras diferente, se baseando no sistema antigo, o que fez o país retornar a uma crise social.



Com toda crise que volta a assolar Ilea, o rei Maxon, tem a ideia de lançar uma nova seleção, na tentativa de apaziguar as coisas, melhorar a imagem de Eadlyn com as pessoas e ainda arranjar um companheiro digno para sua filha. O único problema é que ela não deseja nada disso e como a moça tem um temperamento bem forte, talvez, a Seleção só piore as coisas.

Além de Eadlyn, Maxon e America tiveram mais três filhos, os príncipes, Ahren, Kaden e Osten. Ahren é irmão gêmeo de Eadlyn e pela lei antiga, ele deveria assumir o trono, porém, Eadlyn era a primogênita e como os pais entenderam que por lei esse cargo deveria ser dela, fizeram alguns ajustes para que a filha pudesse se tornar rainha.

Mesmo tendo personalidades diferentes, os irmãos se entendem bem e tem uma relação de cumplicidade bem intensa entre eles. É por isso, que Ahren dá a Eadlyn  a ideia de aceitar a realização da Seleção para agradar aos pais e ao povo  e negociar as coisas. Assim, nem ela faria algo obrigada e nem deixaria o pai chateado e talz... Ela aceita a ideia do irmão, planeja algumas coisas para afastar os garotas e propõe ao pai que tudo dure obrigatoriamente três meses. Se nesse tempo ela não se envolver com nenhum dos garotos ou algo do tipo, tudo acaba e ninguém reclama. Maxon aceita a condição da filha e assim, inicia-se a Seleção.



A Herdeira  é bem mais intenso e animado que a A Seleção,  porque a gente vai acompanhar cada etapa mais de perto e viver uma relação intensa de amor e ódio por Eadlyn desde o inicio. Primeiro que ela faz tudo de má vontade, então, quando está selecionando os 35 garotos que vão participar do processo seletivo para marido, ela já começa a fazer as coisas de qualquer jeito e dá um surto disfarçado quando descobre que Kile Woodwork, filho de Marlee e Carter, é o 35º selecionado.

Eadlyn e Kile cresceram juntos e não simpatizam muito um com o outro ou melhor, simpatizavam, porque depois que a Seleção começa, a relação entre eles começa a mudar e os dois se aproximam bastante, descobrindo que um não era o que o outro pensava e possuem interesses em comum. O detalhe é que até um beijo inicialmente "forjado", acontece entre eles e daí em diante... Kile vai ser um dos caras a abalar as estruturas da rígida Eadlyn. 



De inicio ela não gosta muito de todos os garotos, mas aos poucos, vai percebendo o que cada um tem a oferecer e vivendo momentos bem especiais com alguns deles. Logo nos primeiros dias, ela já tem alguns "favoritos" e também já faz um estrago eliminando vários caras sem a menor explicação. Também vai começar a perceber o quanto a população de Ilea tem uma má impressão dela e do que pode ser o seu reinado.

Os garotos favoritos de Eadlyn acabam se tornando nossos favoritos também, porque eles são realmente pessoas legais e tem histórias especiais de vida. Porém, surpresas são a marca dessa saga e eu acho que pra esse recomeço, vamos ter o dobro de emoções.

Pela minha conta, os mais prováveis candidatos a futuro marido são três, sendo que um nem está realmente na seleção. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk... #segredo

Eu gostei do livro e achei que como inicio pra uma nova saga ou seja lá o que ele venha a ser, tá melhor que o primeiro da saga principal. Tem mais movimento, menos enrolação e com certeza bem mais emocionante, tanto que o gostinho de quero mais que tô pelo próximo tá gigante. A Kiera realmente pegou o ritmo do negócio e cada livro tá melhor que o outro.


Beijos!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!!!


SENTIDO CONTRÁRIO - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger