quinta-feira, 16 de julho de 2015

Eu li: Meu amor, Meu bem, Meu querido - Deb Caletti

Um título grande, uma história incrível e a pergunta: quanto tempo dura um amor? É assim que Meu amor, Meu bem, Meu querido, romance da autora norte americana Deb Caletti, chama a atenção dos leitores pra sua história de amor cheia de reviravoltas e diversão.



Maior parte da história fica contida na vida de Ruby McQueen, uma adolescente de 16 anos que é tida como incomum pelos colegas de escola e vive com a mãe e o irmão, na cidade de Nine Mile Falls e se apaixona pelo bad boy riquinho da cidade.

O "romance" de Ruby e Travis Becker é bem tenso e a gente acompanha a menina mudando seu comportamento e se reinventado pra tentar agradar o garoto que não passa de um mau carácter da pior espécie e acaba envolvendo a tonta em várias enrascadas.



Paralelo aos problemas que a Ruby arranja ao se envolver com Travis, ela ainda tem que lidar com os problemas familiares que surgem com a visita do pai e a descoberta de uma irmã mais nova. Tudo isso, provoca uma tremenda crise na mãe dela e as duas acabam enfrentando divergências na relação delas.

O castigo de Ruby e a cura da mãe é um grupo de leitura para idosos que Ann (a mãe de Ruby) organiza aos finais de semana. Inicialmente, a menina acha que vai ser um tédio ir até lá, mas descobre que é bem divertido e se encanta com a história de uma das participantes que anos antes foi o alvo da paixão de um escritor famoso.



Na tentativa de ajudar a senhora a reencontrar o grande amor de sua vida e livrar-se das garras das filhas má, Ruby, a mãe, o irmão e os outros idosos do grupo embarcam numa super viagem de carro pelo país, na tentativa de dar um final feliz ao casal apaixonado.

Claro que muita aventura vai rolar e muitos problemas também, porque com a fuga, o grupo passa a ser procurado pela polícia e autoridades da região. Só que ao longo do caminho, eles conquistam alguns ajudantes e também aproveitam pra viver momentos únicos de descontração.

Quando as coisas começam a complicar, eles resolvem promover o casamento dos dois velhinhos pra evitar que as filhas levem Lilian de volta ao asilo. Numa cerimônia simples, mas muito emocionante, finalmente Charles e Lilian dizem sim e perpetuam o amor que sentiram por tantos anos em silêncio. É muito lindo!!!



Basicamente, este é um romance, mas ao longo do livro a gente vai descobrindo e vivendo outras emoções. Tem aventura, lição de vida e muitas descobertas pessoais.

Eu gosto de histórias assim. Sempre me ajudam a relaxar e saio com reflexões profundas sobre a vida, sobre a minha vida, na verdade. E assim foi com Meu amor, Meu bem, Meu querido, me senti muito mais leve ao terminar de ler e com as esperanças renovadas.


Beijos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!!!


SENTIDO CONTRÁRIO - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger