quinta-feira, 14 de maio de 2015

Eu li: Por isso a gente acabou - Daniel Handler

Tava devendo a resenha desse livro já tinha um tempinho, né? Demorei porque Por isso a gente acabou foi um livro complicadinho de fazer a leitura, mas que apesar de começar meio chatinho, deu uma melhorada bem interessante.



A primeira coisa a se falar sobre esse livro é que ele foi escrito por Daniel Handler. Para quem não sabe, o Daniel é o Lemony Snicket, autor de "Desventuras em série". Outra coisa legal é que ele tem várias ilustrações feitas pela ilustradora Maira Kalman e isso deixa o livro bem mais fofo e divertido.

Mas falando da história em si, ela basicamente é narrada pela Minerva Green (ou Min Green, como ela prefere ser chamada), contando como conheceu e começou a namorar com o astro do colégio, Ed Slaterton, e paralelamente como foi a separação deles e o passo a passo do plano de devolução das coisas que ela juntou durante o curto relacionamento deles.



Os capítulos iniciais são bem rapidinhos, ilustrados, mas um pouco cansativos, por causa da narrativa que "dramática" que a Min dá a história e o fato de terminar cada capítulo com "e por isso a gente acabou"... Depois melhora e a frase toma chá de sumiço e o livro ganha um ar mais gostoso e até divertido, porque a gente vai começar a perceber que a Min está ficando enjoada do carinha, porém, não termina por medo de não arranjar coisa melhor. Justamente por isso que nasce um pico de ansiedade e curiosidade pra saber o tal motivo do rompimento.

Basicamente, esse é um romance infanto juvenil, então, não dá pra esperar muita coisa (infelizmente). O desfecho é até interessante, mas muito blasé, sabe? Ao ler, vocês perceberão que pra ficar bom, seria interessante o inicio de um novo amor pra Min, mas meio que só fica a suposição de que alguém gosta dela e de que isso pode vim a acontecer.


Vale a pena comprar? Pra ser sincera, não muito. Ele não é incrivelmente engraçado ou romântico, então basicamente é só pra esvaziar a mente mesmo e não esperar nada, porque é uma história bem bobinha e ultra juvenil.

A única coisa que achei interessante é que ele trás essa mania que nós, mulheres, temos de arquivar cada coisinha que lembre um dia especial com aquela pessoa que a gente gosta, seja um amor, um familiar ou um amigo, mas o fato dela devolver dá um ar completamente dramático, exagerado e infantil tanto a personagem quanto a história.  Antes ela tivesse só mandado uma carta para ele, né?


Beijos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!!!


SENTIDO CONTRÁRIO - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger