quarta-feira, 22 de abril de 2015

Nós, amores e muito blá, blá, blá - O ponto final e o recomeço

Créditos: We Heart It 
Acho que ela nunca se preparou para o dia em que te escreveria a última carta. Aquela carta, onde todas as suas emoções fossem postas a mostra e julgadas como um mero equívoco, mas esse dia chegou e a última carta foi escrita com todo o amor que ela lhe reservara por um longo período. O que para muitos poderia ser tido até como uma vida.

Ela não lhe disse muito, até mesmo porque todas as palavras de amor já foram ditas ao longo das outras cartas e também, porque não lhe restava mais aquele amor pueril e corajoso que sempre havia acompanhado aquela história.

Chegava ao fim não uma história de amor, mas sim, um caso de lealdade, amizade e fidelidade unilateral. Alguém ali cansara de dedicar seus dias e suas palavras a um coração fechado e indisponível.

Ela tentou. Muito até, mas assim como as estações do ano, aquela história precisava encontrar o seu final. Eles precisaram encontrar seus verdadeiros caminhos e assim seguirem suas vidas, cada um no seu espaço e na sua realidade.

Ela não sabe ainda quando voltará a escrever para alguém, mas também não sabia que podia escrever para alguém quando tudo isso começou, mas hoje, ela escreve, porque assim se sente viva, porque assim seu coração respira e ela suspira a alegria de poder dizer sem medo e sem vergonha que ama.

Que ela ama você!

2 comentários:

  1. Apaixonada pelo texto, me emocionei com. A manteiga derretida rsrsrs.

    Beijos
    http://pimentasdeacucar.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal Ju!! Fico feliz em saber que você gostou do texto, viu?

      Beijos!!

      Excluir

Obrigada pela visita!!!


SENTIDO CONTRÁRIO - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger