quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Eu li: Uma constelação de fenômenos vitais - Anthony Marra

Sabe aquele livro que te prende pela capa linda e depois te convence a levá-lo pra casa pela sinopse? Pois bem, foi assim que conheci e me convenci a trazer pra casa o livro "Uma constelação de fenômenos vitais", lançado no ano passado e com sua trama centrada na Chechênia durante a Primeira e Segunda Guerra (1994 - 2004).



Esse é aquele tipo de livro forte e com embasamento histórico que esconde em cada capítulo uma pequena parte de uma grande lição final de vida. Então, o livro já começa com o fatídico dia em que Havaa, uma menina de oito anos, tem sua casa invadida por soldados russos e se vê obrigada a fugir, enquanto os soldados levam seu pai (seu único familiar vivo), para uma prisão sob a acusação de colaborar com rebeldes chechenos.

A menina consegue fugir na mata e despistar os tais soldados e logo em seguida, procura a ajuda do vizinho e amigo de seu pai, o médico Akmed. O médico, decidir seguir com a menina para um local seguro, para que assim, os soldados não voltem e a levem com eles, então, ambos seguem até o Hospital Nº 6, onde, conhecem a médica de origem russa, Sonja e seu hospital destruído.



A partir desse encontro e "união" que nascerá entre esses três personagens, um emaranhado de coincidências são apresentadas através de flashbacks e assim, conhecemos um pouco mais da história dos personagens principais e de seus parentes. O problema é que essas indas e vindas no tempo, às vezes deixam a história mais longa desnecessariamente, já que os capítulos ficam mais longos e a leitura um tanto cansativa.



Esse é um livro que por ter muitos elementos focados em história, geografia e geopolítica, você vai acabar ficando curiosa e precisando dá umas pesquisadas pra se situar e entender melhor o tamanho dos problemas pelos quais eles estão passando. Principalmente, no que diz respeito a religião e o repovoamento da Chechênia.

O livro tem pouco mais de 300 páginas, mas por causa da linguagem difícil em alguns pontos e um tanto cansativa, acabei levando duas semanas para consegui ler ele todo. O que me deixou um pouco desapontada, já que normalmente leio um livro desse tamanho em no máximo cinco dias, mas, mesmo assim, ao terminá-lo, achei que é uma boa estória e me empolguei bastante nas últimas 100 páginas, quando todas as coisas vão se encaixando e se explicando e aí, a gente consegue entender os tais "fenômenos vitais". Porém, não acho que seja uma leitura muito indicada para quem quer relaxar e curte mais tramas "fofinhas" e românticas, sabe? Porque até mesmo, a trama não tem aquele desfecho de todos os personagens serem felizes e suas vidas mudarem.


Beijos!!! 

2 comentários:

  1. Eu não conhecia esse livro, mas parece ser muito bom!

    bj

    http://nandaaflordapele.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é bem legal, mas o problema é a amarração da estória e as tais coincidências que rolam... Mas se você tiver paciência, perto da metade ele desenrola e fica show de bola e a curiosidade vai lá pro teto.

      Beijos!!

      Excluir

Obrigada pela visita!!!


SENTIDO CONTRÁRIO - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger