quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Eu li: Fiquei com o seu número - Sophie Kinsella*

O livro dessa semana é bem especial e divertido, já que é de uma das minhas autoras favoritas. Conheci a Sophie Kinsella, através do filme "Os delírios de consumo de Beck Bloom" e já me apaixonei logo, então, quando ouvi algumas amigas falarem de "Fiquei com o seu número", não resisti e comprei.

Sabe aquelas histórias gostosas, divertidas e super bem humoradas, com um tico de romance e indecisão feminina, que a gente já gosta? Pois bem, esse romance é assim do começo ao fim e ele te prende bastante logo nas primeiras páginas, onde conhecemos um pouco de Poppy Wyatt, seu anel de noivado gigante e de Sam Roxton.



Poppy tá de casamento marcado com um cara que parece ser perfeito para ela, mas essa relação, trás um grande peso e responsabilidade para sua vida, já que ela ganha o anel de noivado tradicional da família do noivo e os pés dele não curtem muito a ideia do casamento. Porém, os problemas começaram a aparecer quando ela sem querer acaba perdendo o tal anel de noivado, em um evento para noivas e pra piorar, perde o celular também.

A sorte da moça é encontrar no saguão do hotel, onde aconteceu o tal evento, um celular abandonado para usar como meio de contato. Só que ela não sabia que esse telefone, era um telefone corporativo e que havia sido abandonado pela ex assistente de um executivo chamado Sam Roxton.



Logo, Poppy e Sam acabam se cruzando e iniciando um contato intenso e dramático por causa do celular. Tanto ele, quanto ela precisam do aparelho para manter seus contatos profissionais e claro, saber o paradeiro do tal anel. É aí, que começam os momentos mais divertidos do livros, porque enquanto Poppy anota os recados para Sam, ela começa a dá palpite nas coisas dele e até a responder suas mensagens de uma forma que ela acredita ser menos "fria", enquanto na verdade, é só uma forma mais profissional e impessoal de se relacionar.

Sam precisa do telefone para não perder grandes oportunidades de negócio, mas ao mesmo tempo, ele não consegue deixar de querer ajudar Poppy e é aí, que eles vão começar a se envolver intensamente e passar por algumas mudanças de vida que fará cada um questionar o rumo que vem levando até aquele momento...


"Ele enfia a mão na jaqueta e tira uma pilha de folhas A4 manchadas de café. E, quando as vejo, sinto um aperto no peito. 
Ele guardou. Mesmo depois de termos nos separado de uma maneira tão ruim. Ele guardou nossas mensagens."  - Poppy Wyatt


Confesso que chorei, dei muitas gargalhadas e achei uma leve semelhança entre Sam Roxton e Will Traynor (Como eu era antes de você). Sabe aquele tipo de cara inteligente, com bom carácter, mas fechado que faz a gente ficar curiosa e desafiada a fazer ele se abrir e revelar os mistérios que esconde e mostrar quem é de verdade? Pois bem, esse é Sam. Ele é um cara bom, que só precisa de uma pessoa maluqinha e tão boa quanto ele, para ajudá-lo a soltar as emoções contidas.

Vou dizer que ele não deixa a gente cansada um minuto se quer. Porque a trama vira muito e é bem agitadinha, então, acaba que não dá pra ficar cansada.


*Toda quarta tem post novo meu, lá no blog "Mari Beleza Pura", onde eu falo sobre livros e filmes baseados em livros. Aí, os textos publicados lá serão retransmitidos aqui.


Beijos!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!!!


SENTIDO CONTRÁRIO - 2015. Todos os direitos reservados.
Tecnologia do Blogger